Jornal do Brasil

Internacional

Seis mortos na Caxemira após cancelamento de reunião

Jornal do Brasil

Um soldado indiano e cinco supostos rebeldes morreram em confrontos na Caxemira, informou o exército indiano nesta segunda-feira, poucos dias depois do cancelamento pela Índia de uma reunião com o Paquistão.

O coronel Rajesh Kalia afirmou que dois supostos rebeldes foram mortos no domingo, quando o exército detectou um grupo tentando atravessar a fronteira que divide a Caxemira entre os setores indiano e paquistanês.

Três outros supostos membros de movimentos rebeldes e um soldado indiano morreram nesta segunda-feira.

As informações sobre esses incidentes na zona norte de Tangdhar, perto da fronteira Índia-Paquistão, não puderam ser verificadas de forma independente.

Na semana passada, a Índia cancelou abruptamente uma reunião com o Paquistão, apenas 24 horas depois de aceitar um encontro à margem da Assembleia Geral da ONU em Nova York.

As negociações de alto nível entre a Índia e o Paquistão são raras e a reunião entre os ministros das Relações Exteriores teria sido a primeira em quase três anos.

Nova Déli afirmou que cancelou o diálogo depois das "mortes brutais de nossos agentes de segurança".

Na semana passada, três policiais foram sequestrados e mortos por militantes na Caxemira. Um guarda de fronteira também morreu.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, considerou a decisão indiana como "uma resposta arrogante e negativa" aos seus apelos por uma retomada das negociações de paz.

A Índia acusa o Paquistão de armar grupos rebeldes na Caxemira, dividida entre os dois países em 1947. Desde então, Nova Déli e Islamabad brigam pelo controle da região.

 

 

pzb/np/sm/bc/mb/mr



Recomendadas para você