Arquiteto e teóloga vencem Prêmio Ratzinger

Premiação é concedida para destaques do campo da teologia

O arquiteto suíço Mario Botta e a teóloga alemã Marianne Schlosser foram anunciados nesta quinta-feira (20) como os vencedores do Prêmio Ratzinger, honraria destinada aos melhores estudos de teologia e que presta homenagem ao papa emérito Bento XVI.

 

Botta é um arquiteto reconhecido internacionalmente e ganhou a premiação por ter realizado inúmeras intervenções e projetos religiosos ao longo da carreira, como a Igreja de San Giovanni Battista, em Mogno, a Catedral de Evry, perto de Paris, e a co-catedral de Santo Volto, em Turim.

 

Já Schlosser é professora de teologia na Universidade de Viena, na Áustria, e especialista em espiritualidade patrística e no período da Idade Média. A teóloga ainda traduziu para o alemão grande parte da obra de San Bonaventura e foi editora do segundo volume de "Opera Omnia", do papa Bento XVI.

 

"Pela segunda vez o prêmio é concedido a uma mulher, uma prova do aumento da contribuição das mulheres no campo das ciências teológicas. Também continuamos a linha inaugurada no ano passado de incluir artes entre as atividades premiadas: enquanto no ano passado um músico recebeu o prêmio, este ano é a vez de um arquiteto", afirmou o padre Federico Lombardi, ex-porta-voz do Vaticano.

 

A entrega do prêmio está prevista para 17 de novembro.