Jornal do Brasil

Internacional

Estupro coletivo divulgado nas redes sociais é investigado na França

Jornal do Brasil

A Polícia francesa buscava, nesta quinta-feira (20), os autores do estupro coletivo de uma jovem na saída de uma boate no sul da França que foi gravado e divulgado nas redes sociais.

Os procuradores de Toulouse abriram uma investigação, na quarta à noite, depois que a vítima de 19 anos confirmou que era ela a mulher que aparecia em pelo menos dois vídeos postados no Snapchat e no Twitter, disse à AFP uma fonte ligada à investigação.

Os vídeos do estupro deflagraram uma onda de indignação no Twitter. Vários usuários disseram conhecer a identidade dos agressores, com idades entre 25 e 30 anos.

"Precisamos de calma e discrição", acrescentou a fonte sobre a suposta identificação dos culpados.

Em entrevista à rádio local Capitole, a vítima contou que foi violentada no sábado à noite por "cinco ou seis pessoas" desconhecidas no estacionamento de uma boate em Balma, um subúrbio de Toulouse.

"Aconteceu muito rápido, não me lembro de tudo", afirmou, na entrevista.

A jovem acredita que tenha sido drogada.

Depois de divulgadas nas redes, as imagens foram bloqueadas pela plataforma Pharos do Ministério do Interior, que identifica conteúdos ilícitos publicados on-line.

 

cdu-chv/meb/pc/tt

 

 



Recomendadas para você