Centenas de sírios fogem de Idlib por medo de ofensiva do Exército

Centenas de civis sírios fugiram da província de Idlib, último grande bastião rebelde na Síria, rumo a Aleppo, mais ao norte, por temor de uma ofensiva do Exército sírio - afirmou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) nesta quinta-feira (6).

Ontem e hoje, os habitantes de várias aldeias do sudeste de Idlib se dirigiram para a província vizinha de Aleppo, no norte, indicou o OSDH.

Trata-se de "cerca de 180 famílias, cerca de mil pessoas", disse o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

"Dirigem-se para o oeste da província de Aleppo e para a região de Afrin", perto da fronteira com a Turquia, indicou a fonte.

Há semanas, o governo concentra tropas nos arredores da província de Idlib, noroeste da Síria, controlada pelos extremistas do Hayat Tahrir al Sham (HTS) e por grupos rebeldes.

Há vários dias, a artilharia do governo bombardeia intensamente o sudeste de Idlib. Seis pessoas ficaram feridas nesta quinta, indicou o OSDH.

Mais de três milhões de pessoas vivem na província de Idlib. A maioria é de deslocados procedentes de outras regiões.

A ONU teme que uma ofensiva do governo provoque o deslocamento de até 800.000 pessoas.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, considerou que a ofensiva pode começar em 10 de setembro e pediu que se evite um "banho de sangue".

 

tgg/vl/zm/erl/tt