Jornal do Brasil

Internacional

Sadr e Abadi formam ampla coalizão para governar o Iraque

Jornal do Brasil

Dezesseis formações iraquianas, incluindo as do líder xiita Moqtada Sadr e do primeiro-ministro Haider al-Abadi, chegaram neste domingo à noite a um acordo para a formação de um governo de coalizão, horas antes da primeira sessão do Parlamento eleito em maio.

Esta coalizão contará com 177 deputados, indicou à AFP uma fonte próxima a Abadi, mais da metade dos 329 deputados eleitos nas eleições legislativas, que foram amplamente boicotadas.

O chefe de governo em fim de mandato, apoiado pelo Ocidente, mas terceiro nas eleições legislativas com 42 assentos, poderá manter assim seu cargo.

Na segunda-feira de manhã, o Parlamento realizará sua sessão inaugural durante a qual ele elegerá seu presidente - tradicionalmente um sunita - e seus dois vices.

Os deputados terão 30 dias para eleger o presidente da República, tradicionalmente um curdo, que deverá obter dois terços dos votos.

Uma vez eleito, o presidente da República terá quinze dias para nomear uma coalizão parlamentar para formar um novo governo.

A AFP obteve acesso a uma cópia da lista de signatários do acordo, que inclui a lista que conquistou a maioria dos assentos no Parlamento, a de Moqtada Sadr, aliado aos comunistas por um programa anti-corrupção (54 assentos).

A lista Wataniya (21 lugares), do laico Iyad Allawi, que tem muitas personalidades sunitas, também é signatário, bem como várias listas sunitas, assim como a do clérigo xiita Ammar al-Hakim.

 

ak-str/sbh/fjb/mr



Recomendadas para você