EUA investigam uso de veículos militares doados na Guatemala

Os Estados Unidos anunciaram neste sábado que investigam a implantação de veículos militares doados à Guatemala em frente à sede de uma comissão antimáfias das Nações Unidas, cuja missão foi abruptamente encerrada pelo presidente Jimmy Morales.

"Os Estados Unidos estão monitorando de perto todos os equipamentos doados para a aplicação da lei na Guatemala para garantir que sejam usados de forma adequada e em conformidade com os acordos sob os quais foram doados", indicou a embaixada americana em um comunicado.

Morales anunciou na sexta-feira, cercado por militares e policiais, que não vai renovar o mandato da Comissão Internacional contra a Corrupção na Guatemala (CICIG), que investiga o suposto financiamento ilegal nas eleições que o levaram ao poder em 2015.

Neste sábado, centenas de guatemaltecos protestaram na praça central da capital contra a decisão do governo e para apoiar o trabalho do chefe da CICIG, o colombiano Iván Velásquez.

A entidade internacional foi criada através de um acordo com as Nações Unidas em 2006 e tornou-se operacional um ano depois. Desde então, seu mandato foi renovado a cada dois anos e o atual expira em setembro de 2019.

Dezenas de policiais foram posicionados na área externa do Palácio Nacional da Cultura, antiga sede do governo, para impedir a aproximação dos manifestantes.

Com sua decisão, Morales descumpriu sua promessa de campanha de estender até 2021 o mandato do organismo internacional.

Antes do anúncio, veículos militares estacionaram nas proximidades da sede da CICIG na capital guatemalteca e se retiraram pouco depois da declaração do presidente.

A embaixada americana indicou que desde 2013 doou 148 veículos ao governo da Guatemala.

"Vários desses veículos foram vistos recentemente na Cidade da Guatemala, inclusive perto da sede da CICIG e da embaixada dos Estados Unidos", afirmou a representação diplomática.

ec/val/mr