May volta a defender seu projeto para o Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, prometeu neste domingo manter seu projeto para uma relação comercial estreita entre o Reino Unido e a União Europeia após a saída do bloco, apesar da feroz oposição dos pró-Brexit.

Em julho, May apresentou um "Livro Branco" no qual propôs a criação de uma nova "zona de comércio livre" com a UE, baseada num conjunto de regras comuns sobre bens e o setor agro-alimentar.

Este "plano de Damas" imediatamente despertou a oposição dos partidários de um Brexit duro, porque consideram um desvio do referendo que decidiu a saída do país da UE em junho de 2016.

Também provocou as renúncias dos ministros das Relações Exteriores, Boris Johnson, e do Brexit, David Davis.

Por sua vez, os líderes da UE questionaram a sua viabilidade.

"Não serei forçada a aceitar compromissos sobre as propostas do 'plano de Damas' que não sejam do nosso interesse nacional", escreveu a primeira-ministra no The Daily Telegraph.

A saída da Grã-Bretanha da UE está marcada para 30 de março de 2019. Londres e Bruxelas devem chegar a um acordo em outubro para organizar seu divórcio e estabelecer as bases para o futuro relacionamento.

Diante de uma forte oposição ao seu plano pró-Brexit, May reiterou que prefere a ausência de um acordo em vez de fazer concessões a Bruxelas.

"Estaremos prontos para um 'no deal' se for necessário", escreveu May, que mais uma vez descartou um segundo referendo sobre a adesão à UE.

"Fazer a pergunta mais uma vez seria uma séria traição à nossa democracia - e uma traição dessa confiança", disse ela.

jj/juf/cn /mr