Rússia chama de "provocação" assassinato de líder separatista pró-Rússia da Ucrânia

O assassinato do principal líder dos separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia, Alexander Zakharchenko, é uma "provocação" que prejudica o processo de paz, afirmou neste sábado o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

"É sem dúvida alguma uma provocação", declarou o porta-voz.

"A morte de Zakharchenko agravará seguramente as tensões na região e minará o processo de paz iniciado pelos acordos de Minsk e mediado por Alemanha e França", completou.

Zakharchenko, 42 anos, foi desde o início do conflito em 2014 no leste da Ucrânia o "presidente" a República Popular de Donetsk (DNR), autoproclamada pelos separatistas. Ele morreu na sexta-feira em um atentado no centro de Donetsk.

Outros líderes de guerra separatistas foram assassinados nos últimos anos. As autoridades separatistas acusaram em todos os casos os serviços especiais ucranianos.