Emigrantes venezuelanos regressam ao país em avião enviado por Maduro

Um avião enviado por determinação do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, partiu nesta segunda-feira de Lima com cerca de 100 emigrantes venezuelanos que optaram por voltar a seu país diante das dificuldades que enfrentavam no Peru.

No sentido inverso da avalanche de venezuelanos que cruzaram a fronteira peruana nas últimas semanas, estes 97 emigrantes arrependidos, entre eles 22 crianças, estavam felizes em pegar o avião de regresso à pátria, apesar da severa crise política e econômica que atinge a Venezuela.

"Obrigado aos amigos que me enviaram um email sobre como o presidente Maduro havia criado o plano 'volte à pátria'". "Fui à embaixada (venezuelana) e me receberam bem", disse à AFP Miguel Materano, 42 anos, antes de subir no avião da companhia estatal Conviasa.

Ao menos 500 mil venezuelanos chegaram ao Peru nos últimos meses, e no sábado passado Lima passou a exigir a apresentação de passaporte para que entrem no país, exceto para os que pedem refúgio ao chegar à fronteira.

O pedido de refúgio permite aos venezuelanos permanecer legalmente no Peru e conseguir emprego, enquanto buscam uma solução definitiva para sua situação.

"Não há a menor sombra de dúvida de que este voo (...) faz parte de um plano político dirigido pelo próprio Nicolás Maduro, que busca desacreditar a diáspora venezuelana no Peru", disse à AFP Oscar Pérez, que lidera uma associação de imigrantes venezuelanos em Lima.

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais