Terra sem controle

-->I S R A E L - PA L E S T I N A-->Isabel Kershner-->THE NEW YORK TIMES-->Quando um g rupo de artistas isr aelenses não quis se apr esen- tar no no v o teatr o do assentamen- to judeu de Ariel, na Cisjor dânia, mor ador es locais r eagir am com uma mistur a de dor e r e beldia. Depois, quando acadêmicos is - r aelenses, importantes escritor es e intelectuais de esquer da, disser am que não iriam palestr ar no Centr o Uni v er sitário de Ariel ou em qual - quer outr o assentamento , m uitos de lá disser am que “também nin - guém pediu par a que eles f os - sem”. A situação de desconf orto em Ariel ganhou mais visibilidade quando um g rupo de apoio ame- ricano , o J e wish V oice f or P eace, declar ou que mais de 150 pr o- fissionais de cinema e teatr o , in- cluindo J ulianne Moor e e T on y K ushner , endossar am o discur so em apoio a artistas isr aelenses contr a apr esentações nos assen- tamentos – vistos por m uitos, em todo o m undo , como uma violação da lei internacional. P ar a m uitos em Ariel, o boicote cr escente c hega a sur pr eender . Ariel, um assentamento urbano pr olongado , que está cer ca de 20 quilômetr os no interior da Cis- jor dânia, já há m uito tempo é r otulado como parte do “consen- so” – código local par a assenta- mentos que serão incluídos den- tr o das fr onteir as de Isr ael sob qualquer acor do de paz com os palestinos. – Houv e um g r ande esf orço pa- r a tr ansf ormar Ariel em uma “ci- dade consenso” – diz Amir am Goldblum, pr ofessor isr aelense de química e um dos fundador es do P eace No w . – Mas par ece que Ariel r ealmente não é parte do consenso , e as pessoas entende- rão isso agor a. Ainda assim, depois que Isr ael e os palestinos embar car am no no v o acor do de paz , e com a mor atória temporária isr aelense par a cons - truções r esidenciais nos assenta - mentos a ponto de e xpir ar , Ariel se viu no centr o do enigma colonial israelense. Ligado à planície costeir a de Isr ael por uma moderna autoes- tr ada, o assentamento f o i funda- do em 1978 por um g rupo de fun- cionários de indústrias militar es de Isr ael, que queriam assegur ar que a posição mais ele v ada de Samaria – nome bíblico da Cis- jor dânia – contin uasse sob o con- tr ole de Isr ael. Sucessi v os go v ernos isr aelenses insistir am que Ariel, hoje com 19 mil ha bitantes e localização estr a - tégica, de via permanecer dentr o das fr onteir as de Isr ael sob qual - quer acor do final de paz. Até agor a, nenhum negociador palestino con - cor dou. Os palestinos ar gumentam que um “dedo” isr aelense no in - terior da Cisjor dânia eliminaria a contiguidade territorial de um Es - tado palestino . Outr o ponto impor - tante é que Ariel está localizado em um g r ande aquífer o . A população é pr edominante - mente f ormada por judeus secu - lar es, e não ideólo gos messiânicos que cr eem no assentamento da ár ea centr al bíblica. Quase metade são imig r antes da antiga União So - viética. O pr efeito da cidade, Ron Na - c hman, v em se esf orçando par a não dar a ela um clima de cidade de interior . O assentamento tem todas as car acterísticas de uma cidade normal: tem hotel, par que indus - trial, centr o uni v e r s itário , comple - xo esporti v o e r ecr eati v o—eo teatr o , pr o g r amado par a a brir em no v embr o . O pr otesto dos artistas isr aelen - ses começou com a publicação da pr o g r amação do teatr o par a a tem - por ada de 2010-11, mostr ando que cinco importantes companhias tea - tr ais se apr esentariam. Sur gido dias antes da confe - rência de paz em W ashington, o pr otesto deu início a um de bate público sur pr eendente acer ca da legitimidade dos assenta - mentos nos territórios conquis - tados na Guerr a de 1967. O futur o do assentamento é a b - solutamente incerto . Assim como Ariel é um obstáculo ao acor do Isr ael-P alestina, também poderia ser vir como uma situação confli- tante crucial par a negociador es em busca de um acor do final em busca da paz.-->OÁSIS -->– Sobr e aquífer o, Ariel é assentamento com universidade e centro espor tivoHabitantes da disputada colônia de Ariel vivem no centr o do debate de ter ritóriosRina Castelnuovo / The New Y o rk Times-->T radução: Maíra Mello