Campeonato Carioca: ruim de público, bom para a Globo

A decisão dos cartolas de estipular o valor mínimo de R$ 40 para os jogos do Campeonato Carioca já mostra suas primeiras consequências: os estádios estão mais vazios que o habitual. Nas duas primeiras rodadas do torneio, nem mesmo os quatro grandes conseguiram atrair mais do que um punhado de torcedores aos estádios. Mas, na TV, a coisa foi diferente.

Até agora, a primeira rodada teve média de 2.419 pagantes e a segunda não se saiu muito melhor. Porém, mesmo com o Fluminense colocando os reservas em campo, a primeira transmissão da TV Globo, no último domingo, igualou a média de audiência do torneio passado, atingindo os 15 pontos. A tendência é que, mantendo-se esse patamar no começo, o campeonato supere o anterior na telinha, pois os jogos decisivos costumam alavancar os números para cima.

Colabora para os públicos pífios, ainda, a falta de critério da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) na organização do campeonato. Os jogos de Flamengo e Botafogo teriam despertado mais interesse se não fossem disputados, respectivamente, às 16h30 em Madureira e às 17h em Bangu, ambos em dias de semana. Principais atrações do torneio, os clubes grandes merecem horários mais nobres. 

A equação de estádios cada vez mais vazios e sofás cada vez mais cheios não vem de hoje. Certamente há beneficiados com este quadro, mas não são os torcedores. Quanto aos clubes, há controvérsias.