Partido Solidariedade: balão de ensaio?

Embora a criação do Partido da Solidariedade, bancada pelo deputado federal Paulinho da Força (PDT-SP), seja dado como favas contadas por muitos, há gente no PDT que não vê a iniciativa prosperando.

Segundo um influente membro do partido, Paulinho, inclusive, já teria desistido: "a iniciativa de criar um partido é legítima, sem dúvida, mas Paulinho está vendo que não é fácil".

O atual companheiro de partido do líder da Força Sindical acredita que ele está em uma missão impossível. Um novo partido precisa coletar cerca de 500 mil assinaturas até o começo de outubro, para que seus filiados possam concorrer nas eleições de 2014.

Já se noticiou que a nova legenda alcançou 300 mil assinaturas. O problema é que como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) checa todas as assinaturas, não admitindo nenhuma repetida e eliminando as que não atenderem às regras eleitorais, a contagem tem que ser bem feita.

Para o pedetista a jogada de Paulinho é clara: ele insiste na empreitada pretendendo ganhar peso político dentro e fora do PDT.