MP-RJ: Cláudio Lopes jogando a favor da oposição

Na disputa pelo cargo de Procurador Geral de Justiça, cujo nome para o próximo biênio (2013/2014) será escolhido por Sérgio Cabral em uma lista tríplice a ser votada pela categoria, o candidato da oposição, Marfan Vieira, não perdeu tempo e tirou proveito da manobra feita pelo atual procurador –geral, Claudio Lopes, que apoia o subprocurador Antônio José Campos Moreira.

Como o Jornal do Brasil informou, para beneficiar Lopes, Cabral conseguiu que a Assembleia Legislativa derrubasse o artigo da Lei do MP do estado que exigia do procurador-geral e dos subprocuradores uma quarentena de dois anos antes de candidatar-se a uma vaga em tribunais pelo quinto do ministério Público.

A lei foi mudada e Lopes imediatamente candidatou-se  à vaga aberta no Superior Tribunal de Justiça.

Marfan, sem perder tempo, deu sua estocada no procurador-geral, atingindo indiretamente Campos Moreira. Através de mensagem eletrônica, comprometeu-se junto à categoria com três pontos, a saber:

1 – Só aceita ser nomeado procurador-geral se for o mais votado da lista tríplice;

2 – Assume o compromisso de não concorrer a nenhuma vaga do MP no tribunal de Justiça do Rio ou em qualquer outro tribunal superior;

3 – Tão logo tome posse, proporá nova mudança da lei, fazendo retornar a exigência da quarentena.

Não é à toa que quem conhece os meandros da Procuradoria-Geral diz que, hoje, o maior opositor de Campos Moreira, não é Marfan, mas o próprio Lopes que só lhe cria dificuldades.