Cesar Maia: disfarçaram a aprovação automática 

O fim da aprovação automática foi a principal bandeira do prefeito Eduardo Paes nas suas campanha de 2008, quando criticou duramente um método de ensino adotado pelo então prefeito César Maia. Segundo ele, o sistema usado, tirou a esperança de aprendizado dos alunos. 

Agora, vitorioso na reeleição, Paes passou a ser alvo das críticas de quem criticou anteriormente. Tudo por conta da mudança proposta pela Secretaria Municipal de Educação (SME) para 2013. Se o projeto for à frente, as escolas municipais deixarão de ministrar aulas de 1º a 9º séries e serão divididas em Espaços de Desenvolvimento Infantil (para educação infantil), Casas de Alfabetização (1º ao 3º ano), Primário Carioca (4º ao 6º ano) e Ginásio Carioca (7º a 9º ano).

Para Maia, que na época sofreu as críticas, a intenção da SME não representa apenas uma alteração radical na rotina escolar de alunos e famílias. O ex-prefeito diz que esta é uma forma da prefeitura retornar à aprovação automática em ciclos, na expectativa de melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), uma das promessas que levaram Paes à reeleição:

"Disfarçam um sistema de três ciclos em progressão continuada", escreveu o ex-prefeito no seu Ex-Blog.