A poluição sonora das plataformas e navios na orla fluminense

Os moradores da Região Oceânica de Niterói passaram o dia intrigados – além de incomodados – com o forte barulho de buzinas de navios e plataformas que ecoaram durante boa parte da terça-feira (13).  

Como a intensa neblina não permitia identificar a origem dos estridentes alarmes, alguns moradores de Camboinhas desconfiaram de um possível alerta de alguma embarcação encalhada. Afinal a praia leva o nome de um navio que ali naufragou em 1958.

As explicações surgiram na Capitania dos Portos (CPRJ): o som estridente não correspondia a qualquer espécie de alerta sobre acidentes, mas visava justamente evitar um.

Com a falta de visibilidade por conta do forte nevoeiro, as embarcações fundeadas próximas à orla da Região Oceânica são obrigadas a emitir ruído alertando sobre a sua posição e evitando possíveis colisões. A  emissão de sinais sonoros, repetidamente, serve de alerta para evitar colisões.

* Do Projeto de estágio do Jornal do Brasil