Além de Chico Buarque, Cazuza também entra no repertório do mensalão 

Ao concluir sua sustentação oral, no início do julgamento da ação penal do mensalão, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, deixou o jargão jurídico de lado ao pedir a condenação de 36 dos 38 réus, e citou os versos de Chico Buarque de Holanda: 

“Dormia a nossa pátria-mãe tão distraída / sem perceber que era subtraída / em tenebrosas transações”.

Réplica

No dia seguinte, ao defender a ré Simone Vasconcelos, ex-diretora da empresa SMP&B de Marcos Valério, o principal “operador” do esquema, o advogado Leonardo Yarochewsky procurou dar o troco, mirando o acusador. 

E também se apropriou de outra letra de Chico Buarque: “Apesar de você / amanhã há de ser outro dia”.

Mais uma

Na sessão desta terça-feira, o defensor da ré Anita Leocádia, Luís Telesca Mota, foi ainda mais duro com o chefe do Ministério Público, ao tentar desqualificar a peça acusatória. 

Citou os seguintes versos de Cazuza: “Suas ideias não correspondem aos fatos / sua piscina está cheia de ratos”.