Mensalão exaure ministros e aumenta estoque de “vistas devolvidas” 

Ao justificar que teria de se ausentar na parte final da sessão de julgamento dos réus da ação penal do mensalão, nesta terça-feira, a ministra Cármen Lúcia explicou que teria de preparar a sessão plenária noturna do Tribunal Superior Eleitoral, do qual é presidente. E que assistiria, na manhã desta quarta-feira, às gravações das duas sustentações orais que se seguiriam.

Sobrecarga

A sobrecarga de trabalho atinge também os outros ministros do Supremo Tribunal Federal — Marco Aurélio e Dias Toffoli — que integram no momento, como titulares, o plenário do TSE.

Além disso, eles participam das sessões plenárias das turmas do Supremo nas manhãs de terça-feira, enquanto durar o julgamento da Ação Penal 470. Assim é que, às terças-feiras, os ministros que acumulam funções no TSE estão obrigados a trabalhar — com rápidos intervalos para almoço e lanche — em torno de 12 horas por dia.

Vistas encalhadas

Com o STF praticamente paralisado pelo mensalão, cresce dia a dia o estoque de ações e recursos que aguardam a conclusão dos julgamentos pelo plenário. A secretaria do STF lista nada menos de 96 pedidos de vista já devolvidos pelos ministros à espera de inclusão em pauta, dos quais 17 entregues em junho último.

Nesse estoque, há pedidos de vista que foram devolvidos em 2008 (sete) e em 2009 (cinco).