Anonymous promete lançar Wikileaks brasileira no dia de Tiradentes

O grupo de hackers ciberativistas Anonymous, que promove ataques em todo o mundo como uma forma de protestar contra a corrupção e as grandes corporações, promete criar em breve uma Wikileaks brasileira.

O site original, fundado pelo ativista australiano Julian Assange, divulgou milhões de documentos sigilosos de governos e corporações para todo o mundo, como uma tentativa de abalar as estruturas de poder. 

O site ganhou notabilidade quando divulgou, com o auxílio de grandes jornais como "The New York Times", "The Guardian" e "Der Spiegel", milhares de documentos do Exército dos EUA a respeito da Guerra do Afeganistão, revelando o massacre de milhares de civis pelas tropas americanas, entre outros fatos antes desconhecidos.

Diferença de atuação

Ao contrário da Wikileaks original - que obtinha os documentos com a ajuda de funcionários de embaixadas, órgãos administrativos e empresas - os hackers brasileiros obtiveram os dados através de invasões a servidores de órgãos públicos e privados. O grupo já tirou do ar diversas páginas do governo, como da Anatel, da Prefeitura de São Paulo, do Tribunal de Justiça de São Paulo. Os ativistas já divulgaram, inclusive, dezenas de arquivos sobre investigações da Polícia Federal.

De acordo com um documento virtual que está sendo distribuido pelo grupo de hackers, o site brasileiro vai se chamar LeaksBrasil e será inaugurado no dia 21 de abril, feriado nacional de Tiradentes:

"Dia 20 de abril haverá a operação #KONY2012 Internacional. Pegando essa faísca global, dia 21 de abril terá o manifesto da Anonymous nacional. Porém a #Anonymous estará inaugurando o Leaks Brasil [www.leaksbrasil.org] (uma espécie de WikiLeaks), um site com vários documentos de corrupção e denúncias", prometem.

A mobilização vem ganhando força através das redes sociais, especialmente o Twitter, onde o grupo mantém um perfil institucional.