Extremistas ameaçam ataque para lembrar Massacre de Realengo

Um grupo de extremistas promete um novo ataque no aniversário de um ano da tragédia de Realengo, quando o atirador Wellington Menezes de Oliveira invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira e matou 12 estudantes, além de ter ferido outros 12 feridos.

Os criminosos, que mantêm uma página na internet para propagar mensagens de ódio contra negros, nordestinos, judeus, homossexuais, mulheres e outras minorias, orientaram Wellington no planejamento do ataque e o tratam como um mártir. 

"Temos que fazer um atentado sancto, para celebrar o Tríduo Pascal, na Quinta-Feira sancta nosso novo mártir irá se purificar para que a imagem a notícia de Wellington seja ressucitada", afirma um dos criminosos através da página.

Operação da PF prendeu dois membros do grupo

A Operação Intolerância, da Polícia Federal, prendeu dois dos principais membros do grupo que mantém o site, hospedado na Malásia. De acordo com as investigações, os criminosos já haviam levantado recursos e planejavam um ataque contra estudantes de Ciências Sociais da UNB e um atentado contra o deputado federal Jean Wyllis (PSOL-RJ).