CPI da Loterj já alertava para a ligação de Carlinhos Cachoeira com políticos

Uma comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) realizada pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) já evidenciava a ligação de políticos goianos com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, que culminou nas denúncias contra o senador Demóstenes Torres.

A CPI investigou a ligação de Cachoeira com Waldomiro Diniz, ex-presidente da Loterj, na manipulação de uma licitação, entre outros delitos na administração da loteria do estado do Rio.

Vida de luxo e relações suspeitas

De acordo com o relatório final da CPI, Cachoeira circula com desenvoltura entre a alta sociedade de Goiás. Além disso, relata a amizade com políticos:

"Em Goiás, Carlos Ramos (o Cachoeira) mora no mais sofisticado edifício de Goiânia, o Excalibur. É vizinho de alguns dois mais importantes empresários do estado e é considerado um bem-sucedido homem de negócios, com excelentes relações entre os políticos".

O texto ainda lembra que Cachoeira rejeita a alcunha de bicheiro, embora reconheça que começou a acumular fortuna herdando as bancas de jogo ilegal de seu pai.