Homenagens a Rio Branco no centenário de sua morte

A última sexta-feira (10) foi lembrada em Brasília pelo centenário de morte de José Maria da Silva Paranhos Júnior, o barão do Rio Branco. Chanceler durante o mandato de quatro presidentes brasileiros, Rio Branco foi também geógrafo, historiador e um dos fundadores do Jornal do Brasil.

Em Brasília, a presidente Dilma Rousseff e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, fizeram homenagens e louvaram a trajetória do chanceler que dá nome ao instituto que forma diplomatas de carreira.

Menções

No Facebook do Ministério de Relações Exteriores, a presidente Dilma publicou uma mensagem de homenagem. Ela lembrou seu pragmatismo e sensibilidade política, com os quais "desenhou as fronteiras do Brasil pela via da negociação e da arbitragem". 

"Sua obra é a confirmação da vocação pacífica do Brasil e da nossa crença na força do Direito e da persuasão", escreveu. 

Patriota também lembrou os esforços pacíficos do homem que “esboçou a base para uma agenda de cooperação sul-americana”. O ministro fez questão de mencionar que o prestigio do barão pode ser medido através de um fato raro que aconteceu após sua morte: seu falecimento adiou o carnaval carioca.

“Cem anos após sua morte o Brasil tem direito de se orgulhar de suas conquistas alcançadas”, finalizou.