CPI da Privataria: falta de apoio do PT pode melar investigação

Principal rival do PSDB, o PT ainda não se decidiu sobre "A privataria tucana". Apesar de o livro colocar o dedo na ferida de vários escândalos tucanos, apenas alguns petistas se manifestaram abertamente sobre as denúncias em Brasília. Dilma Rousseff foi cautelosa a comentá-lo, dizendo que CPIs deveriam ser abertas apenas em casos extremos. Ela também admitiu que ainda não leu o livro. 

Apura ou não apura?

Alguns parlamentares, como o próprio Protógenes Queiroz (Psol-RJ), chegaram a garantir que o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), não engavetaria o pedido de CPI. O problema é que o líder petista na Casa, Cândido Vaccarezza (PT-SP), mostrou pouco interesse no caso.

Telhado de vidro

Além de expor o PSDB, "A privataria tucana" também mostra os rachas internos no próprio PT. No livro-denúncia, o jornalista Amaury Ribeiro Junior acusa o presidente do PT, Rui Falcão, de tê-lo espionado e de ter tentado impor seu grupo de comunicação na campanha da presidente Dilma Rousseff, nas eleições do ano passado.