"Contribuição do Ficha Limpa fluminense é enorme", garante autor

Foi apresentado na última semana, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) um projeto que ficou conhecido como o Ficha Limpa do Executivo fluminense. Caso seja aprovado, o projeto impede que pessoas com ficha suja sejam nomeadas para cargos de confiança na máquina administrativa do estado.

Iniciativas como essa têm sido adotadas em diversos estados e municípios do país após a pressão popular pela aprovação da Lei da Ficha Limpa original, no ano passado.

A raposa e o galinheiro

De acordo com o deputado estadual Nilton Salomão (PT), autor do projeto, essa medida é importante para evitar que pessoas com máculas em seu currículo atuem no Executivo, onde têm acesso às verbas públicas:

"O abaixo-assinado que foi feito em todo Brasil faz com que uma pessoa não possa se candidatar a um cargo eletivo se já tiver sido pega em atos ilícitos. Se isso é um desejo do povo, deve ser mais ainda que uma pessoa com esse histórico não possa estar no Executivo, lidando com nosso dinheiro e tomando decisões".

Municípios devem comprar barulho

Após a aprovação do projeto, que Salomão já dá como certa após receber o apoio público do governador Sérgio Cabral, quer trabalhar para que medidas semelhantes sejam adotadas nos municípios do Rio:

"A contribuição é enorme, mas se entende que é ainda maior: isso no âmbito do estado é muito importante, mas precisamos avançar para que todos os municípios adotem essa lei. Nós temos que levá-lo a cada câmara municipal. Estou encaminhando a todas, para que elas possam aprovar este mesmo texto. No âmbito dos municípios é muito mais difícil combater esses conchavos, porque a população tem menos influência", concluiu.