Até em Paris, Lula é caçado pela oposição brasileira

Nesta terça-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o título honoris causa do instituto francês Sciences Po. É a primeira vez que o grupo concede a honra a um latino-americano, o que chamou a atenção da imprensa europeia. Em Paris, Lula mal pôde discursar. Quando tentava falar, era interrompido pela plateia por aplausos de estudantes. 

Pegou mal

Apesar do reconhecimento europeu, os jornalistas brasileiros presentes ao evento deixaram o diretor do instituto francês, Richard Descoings, desconcertado. Durante a coletiva de imprensa que precedeu a premiação, repórteres brasileiros só perguntavam como o Sciences Po premiou um presidente que "apoiava a corrupção" e "chamava Khadafi de irmão". 

Pegou mal 2

Depois de ressaltar o trabalho de Lula nas favelas brasileiras e o crescimento do Brasil no cenário político e econômico internacional, Descoings lembrou aos jornalistas que o Sciences Po não era a Igreja Católica e que não iria fazer análises morais. "Lula foi um homem de ação que modificou o curso do país". 

O episódio foi relatado em detalhes pelo jornal argentino "Pagina/12", que tirou a seguinte conclusão da atitude dos repórteres presentes ao evento: a elite brasileira esta irritada com o reconhecimento internacional de Lula.