José Dirceu: "Veja não difere do finado News of the World"

Na última quarta-feira, o ex-ministro José Dirceu publicou um texto em seu blog pessoal dando mais detalhes sobre a tentativa invasão da suíte de hotel onde estava hospedado em Brasília. Com a conclusão do inquérito, o repórter Gustavo Ribeiro será indiciado por invasão de domicílio. Ele fazia uma reportagem para a revista "Veja" sobre a suposta influência de Dirceu no governo. 

A culpa é das câmeras

A reportagem da revista negou que tenha mandado instalar câmeras para vigiar o ex-ministro no hotel. O problema é que o inquérito policial observou o contrário. A análise das imagens publicadas na "Veja" teriam resolução e qualidade inferior às das câmeras do hotel, o que leva a crer que dispositivos de gravação foram instalados no local. Para Dirceu, a prática aproxima bastante a revista do tabloide "News of the World", que foi à falência na Inglaterra graças a denúncias de grampos telefônicos e violação de e-mails. 

Saiu pela culatra

Ninguém acha que José Dirceu é um santo, mas ficou bem claro que o tiro da reportagem saiu pela culatra. As imagens do hotel mostram Gustavo Ribeiro usando as escadas para tentar invadir a suíte do ex-ministro. A camareira abordada pelo repórter deixou bem claro que ele fez de tudo para convencê-la de que era hóspede e de que tinha perdido a chave do quarto. Ele ainda tentou se passar por um representante da prefeitura de Varginha (MG) para entrar em contato com Dirceu. 

Com a palavra

"A espionagem que Veja acobertou é flagrante violação ao princípio constitucional do direito à intimidade e à privacidade - minha, das pessoas com quem me reuni e dos demais hóspedes - e infringe o Código Penal. Não difere das práticas do finado jornal britânico News of The World", publicou José Dirceu.