Olho grego para José Eduardo Cardozo

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, fez o que pôde para tentar se livrar da “maldição dos três porquinhos”, mas a crise no Ministério do Turismo parece ter lançado uma onda de vibrações negativas sobre ele. 

A pressão sobre o ministro é grande. Interlocutores do governo já especulam — ou torcem — por sua queda.

Fora da ordem

O primeiro a padecer foi o ex-presidente do PT José Dutra. Ele deixou a presidência do partido por motivos de saúde, que culminaram num forte quadro de depressão. Conforme explicou Cardozo, Dutra era o porquinho Heitor que na fábula construiu a casa de madeira. 

Tempos depois foi a vez de Antonio Palocci, que deixou a Casa Civil debaixo do escândalo sobre sua evolução patrimonial. Ele era o porquinho Prático, que construiu a casa de tijolos.

A vida como ela é

Ao contrário da história, quem ainda continua é Cardozo, apelidado de Cícero. O porquinho era o mais preguiçoso e construiu a casa de palha.