Festa de réveillon: no Rio, Eduardo Paes é fiasco, em Salvador, ACM dá show

Réveillon de Salvador é o único entre as capitais que conseguiu manter o patamar anterior

Enquanto aqui no Rio Eduardo Paes e sua péssima administração financeira diminuíram o tempo de queima de fogos da festa em Copacabana de 16 para 12 minutos, em Salvador, ACM Neto está dando um show.

Explicamos: o Réveillon de Salvador é o único entre as capitais que conseguiu manter o patamar de investimento mesmo diante a recessão. E olha que a festa vai custar R$9 milhões, sendo 40% de recursos públicos, destinados aos serviços públicos como limpeza, saúde, mobilidade urbana, segurança e ordenamento, e 60% privados.

É que, destes, ACM conseguiu amarrar bons acordos com Skol, Bradesco e Avatim.

Já no Rio, a prefeitura justificou dizendo que o Réveillon de Copacabana era pago integralmente por patrocinadores, mas, esse ano, por causa da crise, uma parte teve que ser arcada pela Prefeitura. O investimento da cidade para o Réveillon será de R$ 5 milhões.