Começa a 19ª edição do Minas Trend, com alta expectativa de público. Aos detalhes!

HT foi conferir os bastidores do evento fashion que reúne mais de 200 marcas brasileiras

Belo Horizonte mais uma vez é a capital da moda. Ontem, o Minas Trend deu a largada para a 19° edição do evento que combina o universo fashion, economia e criatividade. Desta vez, o Salão de Negócios, principal atração da fashion week mineira, recebe mais de três mil compradores do Brasil e de outros 14 países para conhecer e fechar negócios com cerca de 200 grifes do cenário da moda brasileira. Por aqui, a expectativa e a euforia estão a níveis máximos, principalmente para as 20 novas marcas que estreiam nesta edição do Minas Trend. Sucesso reconhecido por todos os setores, o presidente em exercício da FIEMGAfonso Gonzaga, responsável pela realização do evento, ressaltou que a fashion week mineira já é considerada um evento consolidado e de importância indiscutível. Depois de 18 edições de sucesso, Gonzaga acredita que o feedback dos participantes do Minas Trend represente a principal forma de evolução. “É necessário dizer à sociedade o quanto é importante a participação dos empresários, estilistas e profissionais desses setores, porque nós queremos ouvi-los. Com certeza absoluta, da primeira à décima oitava edição, nós tivemos uma larga experiência no que diz respeito ao crescimento. Mas precisamos melhorar ainda mais. E esse saldo positivo só é conquistado com a ajuda de todos aqueles que participam dia-a-dia dos avanços da nossa federação”, argumentou.

Para a 19º edição, os criativos contam com o tema “Aqui se Cria” como elemento de inspiração. Com a missão de combinar aspectos da arte barroca mineira, enriquecida de curvas e adornos, e o conjunto arquitetônico da Pampulha, ícone da construção moderna, as grifes optaram por traduções não-literais. Como destacou o diretor criativo do Minas Trend, Pedro Lázaro, os estilistas absorveram o conceito criativo e apresentaram resultados impressionantes e belíssimos. “A ideia inicial era que as marcas encontrassem uma resposta que explicasse como uma estrutura do século 18 influenciou em outra dois séculos depois e como poderia aparecer hoje em dia, no século 21. E o que eu percebo é que, dentro do DNA de cada estilista, eles buscaram elementos simbólicos não-literais que dessem continuidade à estrutura de pensamento criativo pessoal sem deixar de pontuar com o tema. Eu olhei para algumas peças do Salão de Negócios, consegui identificar quem tinha assinado e ver também que elas estavam inovando. E isso é sensacional”, contou o diretor criativo Pedro Lázaro.

Entre as 219 marcas que marcam presença no Salão de Negócios do Minas Trend, mais da metade das grifes representam o setor de roupas. Porta-voz desses estilistas, Luciano Araujo, que é do Sindvest, o Sindicato de Vestuário de Minas Gerais, disse que o evento é uma indispensável oportunidade para o setor no cenário econômico. Inclusive, o Minas Trend representa uma chance de iniciação no mercado para pequenos e novos artistas. “O projeto ‘Ready to Go’, que ocorre dentro do sindicato, visa dar oportunidade para jovens empreendedores apresentarem a sua marca e modelos em um evento dessa proporção. Então, nós fazemos uma votação e o ganhador recebe a oportunidade de expor o seu trabalho em um estande na próxima edição do Salão de Negócios. Isso faz com que o Minas Trend se retroalimente e tenha sempre novidades”, explicou o presidente do Sindvest.

Assim como as marcas estreantes, os estilistas do interior do estado mineiro também são só empolgação. Para eles, o Minas Trend é mais que um evento de moda. É uma vitrine mundial que possibilita mostrar o que é criado e produzido longe dos centros urbanos. Com a ajuda do Sindvest, esses artistas vêem na fashion week mineira uma forma de expor seus modelos e alavancar a renda. “Nós temos grandes nomes no interior do estado e o nosso papel é identificar esses talentos e dar a base necessária para que eles possam apresentar sua arte aqui. Antes de começar o Minas Trend, existe toda uma preparação do Sindicato que envolve a produção, o design e tudo mais que essas marcas presentes precisem. Isso é muito bom porque, assim, nós temos a chance de mostrar a arte de todo o estado e a riqueza criativa dos mineiros. Eu acho que mesclar tudo isso é muito bacana e fundamental para o setor ter essa troca de experiências e modelos”, disse o presidente do Sindicato de Vestuário de Minas Gerais, Luciano Araujo.

Como já vimos, o Minas Trend representa mais do que uma semana de moda e negociações. Segundo o presidente em exercício da FIEMG, Afonso Gonzaga, o evento possui uma responsabilidade social importantíssima na sociedade. A coluna HT explica: hoje, só no estado de Minas Gerais, quase 20% da população está empregada no setor do vestuário e acessórios. “Nós temos uma preocupação enorme com o fortalecimento dos segmentos produtivos. Nós estamos trabalhando com confecção, joias e calçados que são setores de extrema importância no cenário estadual e nacional, o que acarreta em uma maior responsabilidade econômica e social. Aqui em Minas Gerais existem diversos polos que juntos estimulam a FIEMG na obrigação de proporcionar negócios. Muito mais que isso: nós trazemos e damos oportunidades de melhorias no que diz respeito à tecnologia e proporcionamos aos empresários uma chance de pensar fora da caixa com o Minas Trend. Então, além da responsabilidade econômica, o social representa uma excelentíssima justificativa para a FIEMG continuar promovendo um evento desta magnitude”, concluiu o presidente Afonso Gonzaga.

[email protected]