Cauby Peixoto: "Está faltando música boa, melodia e harmonia no mercado"

Aos 85 anos, o intérprete de "Conceição" revela: é fã de sertanejo galã Luan Santana

Em 2014, Cauby Peixoto afirmara: "Canto para não ser esquecido". Hoje, dois anos depois, ele desconversa, mostra lembrança fraca da forte frase. E muda o discurso: "Canto porque amo cantar, nasci para cantar". Nesses 60 anos de carreira que comemora ao lado da amiga Ângela Maria em turnê especial, "o reconhecimento do público" é o que faz valer a trajetória, garante o niteroiense de 85 anos.

Averso a "Baile de Favela",Wesley Safadão e MC Bin Laden - a turma mainstream do momento -, Cauby conta que escuta só "gente que canta bem". Na lista? Alcione, Nelson Gonçalves e a própria Ângela Maria. "Artistas que sabem cantar", reitera. Mas, no meio desses medalhões, ele deixa escapar um sangue novo em entrevista exclusiva à coluna: "Gosto da maneira de ser do Luan Santana. A maneira com que trata os fãs e a sua simpatia".

Na contramão, homofobia e política são assuntos que Cauby corre como diabo da cruz. É que para ele "cada um vive como quer": "Não me envolvo em política, religião  ou orientação sexual de cada um. O meu assunto é música, música e música". E é isso que gosta de fazer: "O problema atual é a qualidade musical. Falta melodia, harmonia e boa inspiração. Ta faltando música boa no mercado". Alguém quer contradizer?

Em tempo: o próximo show de Cauby é ao lado de Ângela Maria, nesta quinta-feira (14), na Área de Eventos do Shopping Vila Velha, região metropolitana de Vitória, capital do Espírito Santo. Os ingressos variam de R$ 60 a R$ 800,00. Informações sobre venda? (27) 4062-9010

[email protected]

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais