Rock in RIo: show morno com o 'satanismo pop' do Ghost B.C.

Visual macabro e de cunho religioso contrasta com vocal melódico e teclados oitentistas

Ao avistar pela primeira vez os integrantes da banda sueca Ghost B.C., qualquer um poderia apostar que o som dos caras preza pela densidade do metal. Liderada por um macabro vocalista sob a alcunha de ‘Papa Emérito’, a banda repete a fórmula já adotada por outros grupos: o anonimato de seus integrantes, misteriosamente chamados apenas de ‘ghouls’ (algo como ‘morto-vivo’, em tradução direta). No entanto, sua sonoridade é bem mais leve do que seu visual pode sugerir. Sua simpatia também. Até um ‘boa noite’ em português (com sotaque carregado, claro), o pontífice endemoniado disparou. (LEIA MAIS AQUI E CONFIRA AS FOTOS)

[email protected]