Rio 448 anos: as maravilhas do moderno purgatório da beleza e do caos!

Com imagens coletadas no CPDoc JB, coluna ilustra, em vídeo, a contemporaneidade  da aniversariante

Confira também o nosso blog.

Imaginar na Copa: eis o exercício mais executado por cariocas, seja de forma confessa ou não, nos últimos tempos. Mas, além de imaginar os problemas que nossa Cidade Maravilhosa poderá (ou não) enfrentar diante de grandes eventos, por que não imaginar também o que ela poderá de melhor? Afinal de contas, são 448 anos de história sendo celebrados nesta sexta-feira (1).

Com a alma pacificada, nosso Rio de Janeiro se apresenta moderno. Se não por completo, pelo menos em pensamento: cidade colorida, destino preferido dos gays do mundo todo. Quer modernidade maior? 

Em meio ao caos do trânsito, enxergamos nosso povo caminhar em busca do futuro, seja em cima de uma bicicleta ou em uma via expressa do BRT. O carioca, malandro, não ignora o fato de viver na cidade mais bonita do país. A cada congestionamento, basta girar o pescoço para ser abraçado pela beleza que o cerca. O caos mais fascinante.

Somos modernos, nossa cidade também. Aqui, é agregada dor à delícia de sermos o que somos, com os problemas que temos e com o amor que doamos a esta maravilha criada por Deus e adereçada, a cada dia, pelas mãos daqueles que usufruem de seus dotes, sob a bênção e o olhar orgulhoso do Redentor.

Vamos, mais uma vez, mergulhar nos arquivos do CPDoc JB, com imagens deste Rio de Janeiro contemporâneo, retrato de uma sociedade que evolui e fervilha a cada segundo. Com vocês, mais um trabalho criado pelo nosso videomaker Vinicius Pereira:

Colaborou Beatriz Medeiros

[email protected]