'Não chamo de prostituição, chamo de liberdade', afirma Catarina Migliorini

Catarinense desistiu da proposta do ganhador do leilão da sua virgindade e avalia novas

Confira também o nosso blog.

Um comentário ali, uma matéria na internet acolá e milhares de opiniões circulando nas redes sociais catapultaram Catarina Migliorini à fama por ter leiloado sua virgindade em um site para a produção do documentário 'Virgins wanted', no fim do ano passado.

Os quinze minutos de fama da moça estão durando bem mais do que o esperado, assim como o fim das filmagens do documentário. O japonês vencedor do leilão teve sua proposta recusada pela moça, que, atualmente, avalia dois novos candidatos. "Um foi um pouquinho mais de US$ 1 milhão, o outro foi um pouquinho menos", comenta a catarinense, sobre as ofertas que recebeu. 

Catarina já fez ensaios, sensuais, posou nua, quase desfilou no Fashion Rio - e foi rapidamente 'desconvidada' para subir à passarela da TNG após protestos dos clientes da marca. "Eu não chamo de prostituição, chamo de liberdade", se defende a jovem, no 'De frente com Gabi' que vai ao ar amanhã (27). "A princípio o que mais me encantou foi fazer parte de um documentário. Não me arrependo de nada do que eu fiz", conta a jovem, que, amante da leitura, já planeja escrever um livro. 

Colaborou Beatriz Medeiros

[email protected]