Salve Jorge: mais de 100 capítulos depois, trama ainda busca empatia com público

Em meio à turbulenta trajetória da novela, todos os elogios possíveis à mocinha de Nanda Costa

Confira também o nosso blog.

As viúvas de 'Avenida Brasil' se foram. Não é mais possível culpá-las para justificar o fato inegável: 'Salve Jorge' não pegou. Não pegou na veia do telespectador, por mais que seu retrato principal exponha uma mocinha pobre, de comunidade, judiada pelas injustiças da vida, como tantas outras espalhadas pelo país e diante da TV à noite. Não pegou no Ibope, sempre com níveis abaixo de qualquer média recente das tramas do horário nobre. Não pegou, mas ainda quer tentar pegar. Uma missão árdua, quase impossível para sua autora, Gloria Perez.

Ela, claro, acredita em sua história. E a defende até o fim. Investindo, de forma positiva, nos brios de Morena, a mocinha citada anteriormente. Com o apoio do carisma e, principalmente, do talento da ótima Nanda Costa, Morena tem conquistado um espaço maior no coração do telespectador (lembremos que Nina, vivida por Débora Falabella em 'Avenida Brasil', era uma mocinha que despertava nossa irritação por diversos momentos). Morena, que nos despertava a indiferença no início de 'Salve Jorge', hoje já nos instiga a torcida. Queremos justiça, assim como Morena. Essa ligação mais intensa entre o 'povo do sofá' e a protagonista é uma conquista de Nanda e de Gloria, exclusivamente.

No entanto, já que estamos falando de justiça, admitamos: muito pouco para uma trama que já ultrapassou os 100 capítulos e que peca, majoritariamente, pela falta de consistência em seu roteiro, com mil abordagens superficiais que sacrificam atores, texto, tempo e, principalmente, a mente do público. Temos a certeza, caro leitor, que, assim como você, Cissa Guimarães, Jandira Martini e Stenio Garcia se perguntam diariamente, qual sua função na novela das nove. 

Preocupante observar que, ao passar da marca da centena de capítulo, 'Salve Jorge' ainda busque uma identidade diante de sua plateia de milhões de pessoas. Não à toa a estreia de Walcyr Carrasco no horário nobre já é esperada com ansiedade nos bastidores da Globo. Que  Morena consiga, em breve, sua justiça. E que Nanda Costa continue sua trilha de sucesso na TV. Ela merece.

Por Pedro Willmersdorf

[email protected]