Sucesso na web, Marcelinho dos contos eróticos lança seu próprio kama sutra!

Erik Gustavo, criador do personagem, bateu um papo conosco sobre projeto e aventuras do fantoche

Confira também o nosso blog

Desde que apareceu pela primeira vez na internet, Marcelinho conquistou os corações dos que estão sempre navegando em busca do que há de novo e divertido na rede. Ainda não sabe quem é a figura? A gente explica para você. O queridíssimo é um fantoche, de apenas 12 anos, que, há 10 meses, pode ser visto em vídeos postados no Youtube, lendo contos eróticos com muito humor e sarcasmo.

E depois de já ter sido assistido por mais de 20 milhões de pessoas na web, o menino sagaz criado pelo produtor de vídeo Erik Gustavo, acaba de lançar um livro, escrito em parceria com o seu tutor. ‘O Livro do Marcelinho’, uma versão do kama sutra com posições sexuais reinventadas pelo próprio fantoche, é o primeiro grande passo do personagem que já faz participação VIP em eventos e é estrela de campanhas publicitárias.

Erik, criador e melhor amigo de Marcelinho, conversou com a coluna sobre o livro, já à venda, e os futuros projetos de seu pupilo. “Um próximo passo seria um longa-metragem e - quem sabe -, um Oscar, nem que seja feito de pano e espuma”, conta. E o fantoche também deu uma palavrinha com a gente: “O meu livro é muitas vezes melhor que o kama sutra porque é o único que foi escrito por alguém que nunca fez sexo na vida!”

Heloisa Tolipan: Erik, o Marcelinho já ultrapassou as barreiras da internet, frequenta eventos, faz comerciais e agora dá nome a'O Livro Secreto do Marcelinho'. Quais são os próximos passos do fantoche mais querido do Brasil?

Erik Gustavo: Continuar crescendo (não fisicamente, acredito que ele não cresce mais que isso). Ele anda tendo aulas de canto pra cantar músicas próprias, e com essas músicas vão vir clipes. Fora esquetes com amigos parecidos com ele, se é que me entende. Um próximo passo seria um longa metragem e - quem sabe -, um Oscar, nem que seja feito de pano e espuma.

HT: Existem planos para um programa de TV do Marcelinho? Qual seria o formato ideal de uma atração para que o personagem mantivesse o perfil que conquistou tantos fãs na internet?

Erik: Existe essa possibilidade, sim, mas não quero reprisar o formato "lendo contos eróticos" como já é feito na internet. Eu já recusei algumas propostas por não achar que o Marcelo (Marcelinho pros íntimos) combinava com elas. E acredite, eu conheço bem ele. Quando e se for a hora, vai rolar e vamos fazer de tudo pra ser muito legal.

HT: Em que momento da história do personagem você se deu conta da dimensão que ele tinha tomado? 

Erik: Acho que já na primeira ou segunda semana eu percebi que era algo realmente grande. Foi surpreendente, era algo que eu não esperava de forma alguma. Achei que ia ter menos gente adorando e mais gente criticando por causa da pornografia, ou pelo fato do Marcelinho ser um garoto de 12 anos lendo isso. Felizmente mais gente conseguiu enxergar o carisma que eu percebi nele logo de cara, e isso me deixou e deixa muito feliz.

HT: Com todo esse sucesso do Marcelinho, a pressão do público pelas novidades e novos vídeos sempre foi estimulante ou o Erik por trás do fantoche já se sentiu pouco inspirado para viver o personagem?

Erik: Sim, sempre foi estimulante. E nunca me senti pouco inspirado pra interpretar ele porque sempre interpretei quando tive vontade, só. Nunca tive a intenção de fazer dos meus vídeos com ele uma "profissão" ou algo do tipo, mesmo que ele rendesse muito mais dinheiro que os meus trabalhos "de verdade", como freelancer. Justamente por não me preocupar em criar uma personalidade para ele que fosse distante da minha, ele acabou virando uma caricatura minha na idade dele, e isso me deixa nostálgico quando estou com ele, além de ser muito divertido. O carinho do público só multiplicou tudo.

HT: Além do Marcelinho, você tem mais personagens na manga? Pensa em abrir mão da profissão de produtor de vídeo para investir nesse outro dom?

Erik: Sim, tenho outros personagens. Já sendo costurados, aliás. Não vão participar do "Marcelinho lendo contos eróticos", mas de outros quadros com ele. Não quero mexer na fórmula do "Marcelinho lendo contos eróticos", e sim criar situações novas pra ele. Para alguém que trabalha com criatividade, é complicado se limitar a só um formato, por mais sucesso que ele faça. Sobre largar o meu trabalho com vídeo pra me dedicar à carreira de Marcelinho (estranho falar isso), não penso nisso. Uma coisa levou à outra, e eu faço as duas por prazer. Pretendo continuar unindo as duas sempre que possível.

HT: Agora para o Marcelinho. 

Oi, tudo bem?

HT: Tudo bem, Marcelinho! Se você pudesse convencer alguém de que o seu livro é muitas vezes melhor que o Kama Sutra original, quais seriam os argumentos, Marcelinho?

Marcelinho: O meu é muitas vezes melhor que o Kama Sutra porque é o único que foi escrito por alguém que nunca fez sexo na vida! Então, justamente por fantasiar mais sobre como realmente é transar, para mim é muito mais fácil fugir do "arroz e feijão". Não que eu tenha algo contra arroz e feijão na comida, na verdade eu até gosto bastante!

 

[email protected]