Carnaval 2013: caso Beija-Flor não vença, Laíla deve ser dispensado da escola

Rádio-corredor da folia dá conta sobre possível saída de tradicional diretor da agremiação

Confira também o nosso blog.

Responsável, ao lado eterno mago Joãosinho Trinta (1933-2011), pela transformação da Beija-Flor de Nilópolis em escola de grande porte, com o tricampeonato conquistado em 1976, 77 e 78, Luiz Fernando do Carmo, o Laíla, pode estar vivendo seus últimos momentos como diretor da agremiação nilopolitana, grande vencedora do Carnaval carioca neste século 21 (são seis títulos e três vice-campeonatos em um espaço de 12 anos).

O motivo maior da possível saída de Laíla, segundo a rádio-corredor da folia, seria a insatisfação de Aniz Abraão David, o Anísio, patrono da escola que, mesmo om as complicações com a polícia que teve em 2012, continua sendo a figura de grande influência política na Beija-Flor.

Anísio não estaria gostando dos rumos que sua azul-e-branca estaria seguindo desde 2011, quando o carnavalesco Alexandre Louzada teve um desentendimento com o restante da comissão de Carnaval da escola (leia-se Laíla) e decidiu deixar a Beija-Flor. Naquele ano, apesar do título com um enredo sobre Roberto Carlos, a agremiação teve sua estética criticada, o que teria gerado a primeira leva de contestações ao trabalho de Laíla (une-se a esta leva o desgaste natural da relação, já que Laíla é presente na Beija-Flor há mais de 30 anos, sempre com sua personalidade, digamos, forte).

Como ponto crucial para a permanência, ou não, de Laíla teria sido estabelecida a conquista do título em 2013, quando a Beija-Flor levará para a Avenida o enredo "Amigo Fiel: Do Cavalo do Amanhecer ao Mangalarga", sobre a famosa raça de cavalos. Caso não conquiste o campeonato para a escola de Nilópolis, Laíla deve ser dispensado pela cúpula. Será?

[email protected]