A união faz a força e a ocupação: exposição retrata moradores da Aldeia Maracanã

Financiada por crowdfunding, mostra 'Tudo isso é nosso' mergulha no antigo Museu do Índio, no Rio

Confira também o nosso blog.

Assim que aportaram por aqui, os colonos portugueses, aos poucos, foram tirando os índios nativos de seus espaços. Pois 512 anos depois, os índios da Aldeia Maracanã, que fica no coração da Zona Norte carioca, no antigo Museu do Índio, que está ameaçado de vir abaixo por conta das obras de reforma do estádio do Maracanã, estão vivendo uma situação parecida. 

O fotógrafo Álvaro Riveros tem sangue indígena (é descendente da etnia mapuche, que vive no Chile) e abraçou a causa do grupo. Em diversas visitas, usou suas lentes para encontrar a poesia do cotidiano dos índios e, através de imagens, gerar a nossa reflexão sobre a situação. As fotos são parte da exposição 'Tudo isso é nosso', que ainda reúne imagens das séries do fotógrafo com moradores de rua e moradores do Quilombo das Guerreiras, na Zona Portuária do Rio. A mostra será inaugurada no dia 23 de novembro, no Espaço Ex-Porão, em Santa Teresa, mas você pode conferir uma prévia na nossa galeria.

“Das três séries buscamos extrair as que consideramos mais poéticas e contundentes, visto que, além da beleza da imagem, nos interessa a retratação da realidade para que forjemos a partir delas uma reflexão que nos aproxime desses serem humanos pelos quais passamos, se não toda hora pelo menos alguma vez na vida e reconheçamos neles um pouco de nós”, explica o artista plástico Eduardo de Almeida, um dos curadores da exposição, que está sendo financiada através de um projeto de crowdfunding no Facebook. 

[email protected]