Baú do tesouro pirata! Joalheiro aciona justiça para impedir venda de cópias

Carlos Rodeiro quer ajuda da justiça para combater imitações da pulseira de Senhor do Bonfim

Confira também o nosso blog.

Quem nunca passou por um camelô no centro da cidade e encontrou dezenas de bolsas (ditas) Louis Vuitton penduradas? Pois fique sabendo que não é só a maison francesa que sofre com as cópias descaradas. A última vítima da pirataria foram as pulseiras de Senhor do Bonfim - não aquelas coloridinhas, de tecido, que são compradas aos montes nas igrejas baianas, mas a versão glamurosa criada pelo joalheiro Carlos Rodeiro há 10 anos.

Carlos já acionou a justiça baiana para tentar impedir as imitações da peça, que é patenteada ela CR Joias. Até os clientes do joalheiro estão o ajudando na busca pelos revendedores das cópias e ligam para avisá-lo assim que avistam uma loja vendendo as imitações. "Já ganhamos alguns processos, que, inclusive, foram resolvidos em tempo recorde. Os oficiais de justiça nos confirmaram que irão fazer vistorias em shoppings e lojas. Vamos combater esse ato ilegal", diz Carlos.

O baú do tesouro do pirata está prestes a ser apreendido.

[email protected]