'No Brasil, quando o preto fica famoso, vira incolor', diz MV Bill

O rapper fala sobre sua infância, educação e vocação política no 'De frente com Gabi' de amanhã (8)

Confira também o nosso blog.

Direto da Cidade de Deus para os estúdios do SBT: MV Bill conversa com Marília Gabriela no De frente com Gabi desta quarta-feira. Filho de mãe dona de casa e pai torneiro mecânico, o rapper nunca deixou a comunidade da Zona Oeste carioca e foi nos domínios da CDD que ajudou a criar a Central Única das Favelas, em 1998, hoje, presente em 27 estados. 

"Vocação política eu tenho muita, mas acho que contribuo mais sendo apartidário. Sempre fui assediado por partidos políticos", diz Bill, que acredita que a educação e a sabedoria podem combater o racismo. "As cotas [nas universidades] são importantes, mas precisamos fomentar uma educação de qualidade para que elas não durem para sempre", opina.

"No Brasil, o preto, quando fica famoso, fica incolor", acredita MV Bill, que diz demorar até um mês para escrever uma música. "Um bom hip hop precisa de um pouco de revolta".

A entrevista vai ao ar amanhã (8), à 00h15, no SBT.

[email protected]