Incansável: Caetano Veloso completa 70 anos de vida e talento!

Um dos maiores mestres da MPB está em plena atividade profissional e cada vez mais criativo

Confira também o nosso blog

Hoje a gente tem um motivo especial para ter orgulho de ser brasileiro: é aniversário de Caetano Veloso. Há 70 anos, nascia, em Santo Amaro da Purificação, um dos artistas que vieram para dar mais personalidade à Música Popular Brasileira, sempre cheia de atitude. E, ao contrário da suposição de alguns, Caetano só rejuvenesceu com o tempo. O filho de dona Canô não para de criar, transformar, estabelecer frutíferas parcerias e produzir trabalhos mesclando tudo o que há de mais contemporâneo na música à sua essência inconfundível. 

Caetano, além de ser naturalmente talentoso, sempre foi dotado de sorte na vida profissional. Desde o começo da carreira, iniciada em 1965 com a sua vinda para o Rio de Janeiro e a gravação do seu primeiro compacto simples, esteve ao lado daqueles que são, até hoje, as figuras mais importantes da nossa música. É irmão mais velho de Maria Bethânia, parceiro de Gal Costa e Gilberto Gil desde o início de suas empreitadas e, assim como todos eles, discípulo direto de João Gilberto, Vinícius de Moraes e Tom Jobim. Caê desfrutou de uma formação musical, digamos, privilegiada, também influenciada por cantores como Luiz Gonzaga e pelo samba de roda que ouvia na infância. 

Não pretendemos citar aqui cada passo da carreira um artista dessa magnitude, com quase 50 anos de carreira e tanta história para ser contada, mas é bom lembrar do que Caetano Veloso fez e continua fazendo por nós. Dentre outros muitos agrados, ele nos presenteou com a transformação cultural gerada pela Tropicália, no final da década de 60, ao lado de Gil, Gal, Nara Leão, José Capinan, Tom Zé, Rogério Duprat, Torquato Neto, Rogério Duarte, Mutantes e outros artistas; foi exilado e, ao voltar de Londres, trouxe consigo um dos melhores álbuns da MPB, o Transa, que faz 40 anos em 2012; compôs preciosidades como Livros, Qualquer Coisa, Sonhos, Luz Do Sol, Não Me Arrependo e dezenas de boas canções... E continua em plena atividade. 

Nesta década, Caetano continuou ousando. Foi bastante elogiado pelo arrojo no álbum , lançado em 2006, dotado de uma pegada mais roqueira. Mais recentemente, veio a parceria com a cantora Maria Gadu, que gerou uma turnê e a gravação de CD e DVD ao vivo, em 2010, e a produção, ao lado de seu filho Moreno, de Recanto, trigésimo álbum de estúdio de Gal Costa, no ano passado. Diante da vida, Caetano parece à vontade e ainda cheio de contribuições para dar. Como dizem os versos de sua música Nine Out Of Ten, ele "tá vivo, muito vivo!". Bom assim. Parabéns, Caê! 

[email protected]