Alta temperatura na Flórida: famosos recebem Arnaldo Jabor, o homenageado da 15ª edição do Brazilian Film Festival of Miami

Ele ganhou uma mostra com todos os seus filmes na Miami Beach Cinematheque e A Suprema Felicidade terá exibição hors concours no dia do encerramento do festival

Confira também nosso blog

Estamos acompanhando a 15ª edição do Brazilian Film Festival of Miami. E quem desembarcou na Flórida foi Arnaldo Jabor, homenageado do evento. Desde sua primeira edição, em 1997, o BRAFF Miami homenageia um profissional de destaque do setor audiovisual brasileiro. Dessa vez o escolhido foi o produtor e diretor de cinema, escritor e jornalista.

Jabor iniciou sua carreira cinematográfica em 1964, fazendo curso no Itamaraty-Unesco. Ainda no mesmo ano, trabalhou nos documentários Maioria Absoluta, de Leon Hirszman, Integração Racial, de Paulo Cézar Saraceni, e como assistente de direção no filme Nave de São Bento, de Mário Carneiro. Neste mesmo período participou do movimento Cinema Novo ao lado dos cineastas Glauber Rocha, Cacá Diegues, Luiz Carlos Barreto, Nelson Pereira dos Santos, entre outros.

Sua filmografia inclui: O Circo (1965), seu primeiro curta-metragem; A Opinião Pública (1967), sua estreia na direção de um longa; e Pindorama (1970), que representou o Brasil no Festival de Cinema de Cannes de 1971. Adaptou dois textos de Nelson Rodrigues para o cinema: Toda Nudez Será Castigada (1973) e O Casamento (1975). Sucesso de público e crítica, Toda Nudez Será Castigada recebeu o Urso de Prata no Festival de Cinema de Berlim e representou o país em Cannes em 1973, além de ser premiado como melhor filme no 1º Festival de Cinema de Gramado, no mesmo ano, e pelo Instituto Nacional de Cinema, em 1974. O Casamento também realizou trajetória internacional, representando o Brasil no Festival de Cinema de Cannes e no Festival de Cinema de São Francisco, em 1976.

Com o longa Tudo Bem (1978), Jabor participou do Festival de Cinema de Berlim – Quinzena dos Realizadores – e recebeu o prêmio de melhor filme no Festival de Cinema de Brasília. Em 1980, produziu uma das maiores bilheterias do cinema brasileiro: Eu Te Amo, com Sonia Braga e Paulo Cesar Pereio, atraindo 4 milhões de espectadores aos cinemas. O filme representou o Brasil no Festival de Cannes, na mostra “Un Certain Regard”, em 1981. Eu Sei Que Vou Te Amar, de 1984, não ficou atrás: levou 4,5 milhões de espectadores aos cinemas e rendeu a Fernanda Montenegro o Palma de Ouro de melhor atriz no Festival de Cinema de Cannes de 1986.

O 15th Brazilian Film Festival of Miami apresentará uma seleção de seus filmes na Miami Beach Cinematheque, além de seu mais recente trabalho no cinema, A Suprema Felicidade (2010), no encerramento. Baseado em experiências pessoais de infância, o longa mostra a história de uma família de classe média nos anos 50 e conta com Marco Nanini, Dan Stulbach e Mariana Lima, entre outros, no elenco.

[email protected]