Entre o céu e o inferno

O anjo da guarda e o diabinho que coabitam a cabeça de Neymar acordaram agitados, ontem. Em todas as mesas redondas da TV a cabo, a discussão era a mesma: Neymar deve ou não se transferir para o Real Madrid, que acaba de vender Cristiano Ronaldo para a Juventus? 

- É claro que deve ir! Está sendo chamado para substituir o melhor jogador do planeta! Quer honra e reconhecimento maior? – bradava o capetinha.

- Nada disso! É hora de dar a volta por cima no clube que apostou nele e o contratou, a peso de ouro, para ser o líder de um grande projeto, cuja meta é a conquista da Liga dos Campeões e a sua eleição na Bola de Ouro – ponderou o anjinho.

- Tá louco, ô da auréola? Uma oportunidade como esta de se transferir para o maior clube do mundo, que está com o posto de craque mor vago, só aparece uma vez na vida! Dane-se o contrato e o PSG. Tudo pela glória!

- Que glória? Essa que está vivendo agora? Uma boa forma de começar a reconstruir a imagem tão arranhada na Copa é respeitar o contrato que tem e aproveitar para aparar as arestas que tem com seus companheiros.

- Com Cavani e Mbappé? Esquece! Dois malas! 

- Nada disso. Basta ser um pouco menos egoísta e levar um bom papo e os três juntos formarão um ataque endiabrado. Quero dizer, celestial... 

- Kkkkkkkkkk. Está se traindo, ô das asas.

- Se for pra Madrid como superestrela, vai acabar cultivando mais desafetos e piorando sua situação. Além do que as cobranças e comparações com o gajo serão gigantescas. No primeiro tropeço, o mundo cairá sobre a sua cabeça. Deus o livre!

- Deixa a sua divindade fora disso. Basta chegar lá no Bernabéu jogando um futebol endiabrado e ninguém se lembrará da Copa da Rússia e das perseguições injustas, por causa das quedas, causadas pelos pontapés dos botinudos invejosos, com a complacência de juízes bananas.

- Essa sua maldita mania de perseguição é que o atrapalha e o tornou uma piada mundial. É preciso uma mudança de atitude drástica. É preciso humildade. É preciso reconhecer os erros e amadurecer.

- Deixa de ser chato, santidade. O garoto é craque e apanha feito boi ladrão. Quem diz o contrário é por pura inveja. Não tem que mudar nada. É só vestir o manto do Real Madrid e seguir brilhando...

- Desse jeito, brilhar, só se for no quinto dos infernos! – irritou-se o anjo, que deu as costas ao capeta e encerrou a discussão. Ato contínuo ouviu um grito lancinante e, ao se virar, se deparou com o diabinho rolando e se contorcendo, como se tivesse sofrido uma tentativa de assassinato.

- Ele não sabe discutir e me agrediu! – urrava o diabo, mãos no rosto. 

Bem, na cabeça de Neymar, já existe o VAR. O problema é que quem decide é ele próprio, assessorado por seu pai. E a quem será que vão ouvir?