Cine Fliporto homenageia Gilberto Freyre, Guel Arraes e Tizuka Yamazaki

O Cine Fliporto terá uma mostra de produções audiovisuais divididas em eixos temáticos de acordo com a programação central do evento. O primeiro deles está relacionado ao autor homenageado deste ano: o sociólogo pernambucano Gilberto Freyre. O segundo eixo será dedicado ao Oriente, outro recorte proposto pela curadoria literária da Fliporto. Já o terceiro eixo homenageará o cineasta pernambucano Guel Arraes e a cineasta Tizuka Yamasaki. Ambos irão, inclusive, abrilhantar a Fliporto com a realização de uma mesa onde será debatida a relação entre literatura e cinema.

A seleção de filmes acompanhará essa estrutura. Assim, em primeiro lugar serão selecionados filmes que dialoguem com a vida e a obra de Gilberto Freyre. Entre eles, podemos confirmar a exibição dos filmes Gilbertianas Brasileiras, de Geneton Moraes Neto, O Mestre de Apipucos, de Joaquim Pedro de Andrade e Guia Prático Histórico e Sentimental da Cidade do Recife, de Léo Falcão. De Tizuka Yamasaki exibiremos Gaijin, os Caminhos da Liberdade e Gaigin, Ama-me como Sou.

Do diretor Guel Arraes serão exibidos Romance, Lisbela e o Prisioneiro e 3 programas produzidos para a televisão realizados a partir de adaptações literárias: A Hora da Estrela, O Condomínio e Comédia da Vida Privada. Outros filmes voltados para o tema “Oriente” estão em seleção em  conjunto com a coordenação literária.


OS HOMENAGEADOS

Guel Arraes - Filho do ex-governador Miguel Arraes, o pernambucano Guel Arraes é um dos mais respeitados criadores de televisão do Brasil. Diretor de um dos núcleos de produção da Rede Globo, Guel tem comandado equipes responsáveis por programas, minisséries, seriados e quadros, que fizeram história na televisão brasileira: Armação Ilimitada, TV Pirata, Programa Legal, Brasil Legal, Comédia da Vida Privada, Central da Periferia, entre outros.

Nos anos 90, Guel tornou-se também um dos responsáveis pela reconfiguração do mercado audiovisual brasileiro, a partir da proposta de articulação das produções televisiva e cinematográfica. Experiências de transformação de minisséries em filmes, como O Auto da Compadecida e A Invenção do Brasil, são um marco no cenário de convergência entre dois campos que, no nosso país, estiveram historicamente apartados. No cinema ou na televisão, Guel Arraes pode ser considerado um inventor de produtos e estratégias de produção audiovisuais.


Tizuka Yamasaki - Filha e neta de japoneses, Tizuka Yamasaki nasceu numa fazenda de café no Rio Grande do Sul, mas foi criada em Atibaia, no interior de São Paulo. Em 1970 foi morar em Brasília e depois se transferiu para a Universidade Federal Fluminense para cursar cinema. Nesse período, fez alguns curta-metragens e conheceu Nelson Pereira dos Santos. Em 1974 começou a fazer o trabalho de continuista e fotógrafa de cena do filme “O Amuleto de Ogum”. A partir daí, Tizuka trabalhou com grandes nomes da indústria cinematográfica nacional como o próprio Nelson Pereira dos Santo e Glauber Rocha.

Em 1980 ela desenvolveu o roteiro de “Gaijin – Caminhos da Liberdade“, seu primeiro longa-metragem como diretora, que conta a história de uma família de japoneses que veio para o Brasil trabalhar na lavoura e passou por todas as dificuldades que fizeram parte das vidas dos imigrantes no país do começo do século. O filme conquistou vários prêmios, inclusive o de melhor filme no Festival de Gramado e uma menção especial do júri no Festival de Cannes.