Herchcovitch reforça os anos 1980 em Nova York

O desfile homenageou Boy George, o Culture Club e Castelbajac, entre outras referências

Alexandre Herchcovitch apresentou mais uma coleção na Mercedes Benz Fashion Week de Nova York. Neste sábado, a série vista na São Paulo Fashion Week em junho foi reapresentada exatamente da mesma maneira e ordem: começou por brancos, quadriculados em preto e branco, sempre em shape volumoso da cintura para cima e ajustado para baixo. Esta parte mais fantasiosa dos quadrados em vários tamanhos foi seguida por cores mais marcadas, como o amarelo-esverdeado, o roxo e interferências de corações coloridos sobre o xadrez preto e branco, sempre presente nas coleções do paulistano Alexandre Herchcovitch. 

Comparando com a coleção de verão, vista em NY em fevereiro, estas roupas são menos comerciais, perdem no corte e no colorido em relação aos belos vestidos de cetins do verão. Mas pode ser um passo em direção a um estilo mais conceitual, uma volta a um conteúdo que conta histórias e que chama a atenção em eventos como este novaiorquino, a cada temporada mais saturado de desfiles de nomes que absolutamente carecem de importância no universo dos lançadores de novas propostas. 

Carlos Miele, pioneiro nesta semana de Nova York, desfila no dia 10, segunda-feira, às 10h e a Osklen estreia no circuito internacional na terça, dia 11, às 15h.

Outros brasileiros circulam pela moda internacional: Gustavo Lins, na Alta Costura de Paris, Francisco Costa, como diretor de criação da Calvin Klein e Daniela Helayel, dona da Issa London, em Londres. Há muitos outros, anonimamente empregados como designers de estampas, criadores de acessórios e estilistas em marcas alheias.