Guarda-roupa masculino anda devagar. Mas evolui

Ações de marketing, looks diferentes e mudanças no conceito de marcas inovam na roupa do brasileiro 

Por mais que surjam propostas inovadoras, ainda é lenta a visão de mudanças no jeito do brasileiro se vestir. Camiseta, jeans, bermuda cargo, com concessões aos trajes tirados do surfewear e da turma do skate – pouco mais do que isso compõe o lote de opções do guarda-roupa. Capas de chuva são raras, os abrigos estilo canguru e os hoodies servem de proteção.

Renovação geral

O que não desanima as grandes marcas na hora das novas estações. Aliás, nota-se que há coragem de investir em mudanças. 

Como é o caso da Toulon, marca que poderia ser rotulada de popular ou tradicional. No entanto, a equipe liderada por Eduardo Balesteros corre atrás da modernização. A partir dos projetos das lojas, que chegam a 50, entre próprias e franquias, em vários estados – só no Rio são 31. Passa pelas coleções, com formas mais atuais, traduzidas em fotos com efeitos tecnologicamente cool nos catálogos da campanha. Eduarda Balesteros, a Duda, responde por boa parte das inovações de estilo.

Mantra de Bali

O universo do skate e do surfe faz a base da Bintang, marca que nasce apostando no mantra Roots and Culture. Root, do Rio; Culture, de Bali, de onde vem o nome, que significa estrela. A comunicação combina palavras de amizade com chavões de rede social, tipo legalize hapiness, te amo; o catálogo tem QR Codes para baixar a rádio da marca e vídeos praieiros. Tudo moderno, para suportar as camisas xadrezes, as bermudas e as camisetas da linha masculina. O próprio clássico atualizado.

Clássicos descolados

Outro hit é a camisa pólo. Inventada pelo tenista Lacoste, sucesso no Brasil nas versões pioneiras da Elle et Lui, o modelo continua a ser reinventado. Se na grife Reserva o picapau substitui o jacaré da Lacoste e o jogador de polo da Ralph Kauren, a Limits, marca de Marcio Duek, integrante do grupo Borelli, lança polos listradas. Bem clássicas, mas são apresentadas na campanha que segue o vídeo Live it up, em modelos de braços tatuados e cabelos curtos.

 Interpretações externas

As revistas de estilo andam preenchendo mais páginas com propostas de moda para homens. Na Vizoo, editada pelo fotografo Pedro Garrido, os looks montados por Roberta Stamatto e fotografados por Christian Gaul falam do novo groove, combinando peças básicas em jeitos diferentes, com bons resultados.

E em Paris, apesar do desfile Chanel do dia ser feminino, do lado de fora da sala, nas escadarias do Grand Palais, modelos homens vestiam roupas e acessórios da grife. Aproveitavam assim, a multidão de fotógrafos de blogs que registram a moda de rua. Para isto, optaram pelos looks masculinos. Sinal de que eles, mesmo lentos, ajudam a movimentar as engrenagens da comunicação de moda.