Mea-culpa patrocinada: Neymar admite erros na Copa em anúncio e recebe saraivada de críticas

Foi um verdadeiro tiro no pé. Veiculado desde domingo à noite, o anúncio da Gillette em que Neymar aparece fazendo uma espécie de mea culpa de sua participação  na Copa do Mundo vem sendo bombardeado desde então por todos os lados. A ponto de a Grey, agência que criou a peça publicitária, a Gillette e o próprio staff do jogador já estudarem uma maneira de tentar minimizar o estrago causado pela infeliz propaganda.

Vinte e três dias após a eliminação do Brasil na Copa, Neymar apareceu falando sobre as críticas que recebeu por sua participação na Rússia. Todo mundo queria ouvir o craque justificando o que ocorrera no Mundial, quando virou chacota mundial por seu comportamento dentro de campo e sua insistência em simular contusões gravíssimas sempre que recebia uma falta. 

O que ninguém imaginava era que Neymar fizesse isso numa campanha publicitária, na qual teria, segundo gente da área, recebido cachê de R$ 1 milhão. Esperavam um pronunciamento espontâneo, sincero. Por isso, as pancadas que vem recebendo desde domingo a noite.

O anúncio virou meme nas redes sociais e Neymar voltou a ser “espancado” no exterior.  Na Europa o vídeo foi considerado patético.

A peça publicitária foi produzida nas duas últimas semanas. As partes se encontraram algumas vezes e Neymar disse o que achava das cobranças que sofrera durante a Copa. O texto, então, foi construído a partir destas conversas. Foi aprovado pelo jogador e seu pai, que também acompanhou todo o processo.

Não deu certo. O depoimento de Neymar soa falso, apesar de o jogador admitir que não correspondeu às expectativas. 

Segundo a Gillette, a peça não foi feita para melhorar a imagem de Neymar. Faz parte de uma nova campanha “Um novo homem todo dia”, que convida todos os homens, inclusive o craque, a refletirem sobre as novas chances que cada dia oferece para se tornarem melhores do que ontem. 

A verdade é que a polêmica só serviu para piorar a imagem de Neymar, cada vez mais associado ao marketing pessoal.   

É quase um consenso entre publicitários que no momento Neymar não precisa de qualquer campanha. O que ele tem que fazer é ficar quieto, deixar um pouco de lado  o marketing e se mostrar mais verdadeiro. 

Com o talento que tem,  que, aliás,  é reconhecido até por seus críticos mais ferozes, o camisa 10 da seleção pode reverter a situação em menos de três meses. Basta jogar o que sabe. E Neymar sabe muito.