Árbitro de vídeo teve margem de erro de 0,89% na Itália

O árbitro assistente de vídeo (VAR) teve uma margem de erro de 0,89% no primeiro ano em que foi usado na Série A e na Copa da Itália.

Sem seu auxílio, as falhas de arbitragem contabilizariam 5,78% do total de checagens, segundo um balanço divulgado pela Lega Serie A e pela Associação Italiana de Árbitros (AIA), nesta sexta-feira (8).

Neste ano, em 397 partidas, foram efetuadas 2.023 checagens, incluindo 538 de pênaltis, 407 de expulsões e 1.060 de gols, com 117 correções: 59 para pênaltis, 16 para expulsões e 42 para gols.

"Mínima interferência para o máximo benefício, como pretendido desde o início do projeto", evidencia o relatório.

"O projeto VAR na Itália se tornou um ponto de referência e interesse para todas as organizações internacionais em termos de desenvolvimento e pesquisa", acrescenta o documento.

A Lega e a AIA ainda indicaram aspectos que podem ser melhorados, como o sistema de áudio, a uniformidade nos critérios de intervenção e a otimização do tempo para evitar a sobreposição entre a revisão do árbitro de vídeo e o juiz de campo, além da introdução de um software "Hawk Eye" para posicionar a linha de impedimento.

O VAR foi oficializado pela Fifa e será utilizado na Copa do Mundo da Rússia, que tem início na próxima quinta-feira (14).