Cuca garante bom ambiente e estuda elenco por reforços

A primeira passagem de Cuca pelo Palmeiras foi marcada pelo título do Campeonato Brasileiro 2016, mas também teve alguns atritos. Apresentado na terça-feira, o treinador garantiu desfrutar de um bom ambiente e avisou que pretende analisar o elenco para pensar em reforços.

Durante o ano passado, Cuca teve diferenças com atletas como Dudu, Lucas Barrios e Rafael Marques e com Paulo Nobre, então presidente do clube. Diante de Maurício Galiotte, atual mandatário, e do diretor de futebol Alexandre Mattos, ele foi indagado sobre o tema durante sua apresentação.

"Quando a gente sai de um clube por vontade própria, os jornalistas acham que houve algum problema. Mas eu sempre tive bom ambiente no Palmeiras. Nunca briguei com o Alexandre nem com os jogadores", disse Cuca, tratando os episódios de 2016 com naturalidade.

"Em algumas situações, você precisa pôr o dedo e eu faço isso, como posso voltar a fazer, sempre no afã de melhorar não só o time, mas também o jogador como pessoa. Alguns melhoraram com isso. O vestiário é responsabilidade do técnico e, se precisar de uma atitude mais dura, é natural. Ocorre em qualquer lugar", explicou.

Desde a saída de Cuca, o Palmeiras contratou os zagueiros Antônio Carlos e Luan, os meio-campistas Alejandro Guerra, Felipe Melo, Hyoran, Michel Bastos e Raphael Veiga e os atacantes Miguel Borja, Keno e Willian. Pensando em uma eventual reformulação, o treinador planeja estudar o elenco.

"Os jogadores se auto-escalam durante os treinos e no time inicial podem ocorrer mudanças naturalmente. Se o Palmeiras avançar na Copa do Brasil, terá 31 jogos em 103 dias, então todos vão receber chances. Em duas ou três semanas, vou ter condições de avaliar o elenco e passar o que penso ao Alexandre", disse Cuca.

Questionado sobre a chance de trazer o lateral-esquerdo Danilo Avelar, do Torino, e o meia Paulo Henrique Ganso, do Sevilla, o técnico palmeirense desconversou. Por outro lado, deixou claro que o clube alviverde pode aproveitar oportunidades de contratação em breve.

"Primeiro, tenho que falar com os atletas e sentir. Alguns podem sair no meio do ano e, se você perder jogadores, é natural que recomponha. Com responsabilidade grande de vencer, precisamos de um time forte. Se tiver no mercado alguma coisa que seja boa para o Palmeiras, vamos conversar", declarou.