Palmeiras demite Eduardo Baptista e sonha com retorno de Cuca

Treinador não resistiu à eliminação no Paulista e derrota na Libertadores

Eduardo Baptista não é mais o técnico do Palmeiras. Anunciado em dezembro do ano passado, o treinador não resistiu à eliminação no Campeonato Paulista e à derrota para o Jorge Willsterman, na Bolívia, pela Taça Libertadores. 

Pressionado desde que assumiu o comando da equipe no lugar do campeão brasileiro Cuca, Baptista teve 70% de aproveitamento no comando da equipe. Ao todo, o treinador comandou a equipe em 23 partidas, com 14 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. 

A diretoria despista, mas a tendência é que faça uma investida para o retorno de Cuca já na próxima semana. Na internet, a torcida alviverde pede insistentemente pelo retorno do treinador, que foi o responsável por tirar a equipe da fila de 22 anos sem levantar a taça de campeão brasileiro.

Na manhã desta sexta-feira, Eduardo Baptista divulgou uma nota agradecendo ao clube, aos jogadores e funcionários pela oportunidade de comandar a equipe.

"Quero agradecer aos profissionais da SE Palmeiras por esses quase cinco meses de ótima convivência. Todos muito empenhados no trabalho e dedicados, cada qual dentro de sua função, no melhor pela instituição. Agradeço a direção da SE Palmeiras pela oportunidade e parabenizo pela excelente estrutura do departamento de futebol. Agradeço a toda a torcida palmeirense que sempre incentivou e apoiou o time incondicionalmente. Aos setoristas do clube meu muito obrigado pela relação de respeito e convívio de alto nível. Desejo a todos muito sucesso", disse o treinador.

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, o presidente Maurício Galiotte evitou comentar a possibilidade de promover o retorno do técnico campeão brasileiro, mas prometeu um substituto o mais rápido possível.

"Em relação ao nome que vai substituir o Eduardo Baptista, vamos agora trabalhar internamente e, assim que tivermos uma situação mais evoluída, passaremos aos senhores (jornalistas)", disse Maurício Galiotte durante entrevista concedida na Academia de Futebol.

Contratado para suceder Marcelo Oliveira em 2016, Cuca comandou o Palmeiras na conquista do título do Campeonato Brasileiro. Em seguida, deixou o clube para resolver problemas particulares e, antes de fazê-lo, conversou Galiotte, então candidato à presidência do clube.

"Em novembro, o Cuca me procurou e disse que não poderia continuar no Palmeiras", disse Galiotte, à época vice-presidente na gestão de Paulo Nobre. "Ele disse que precisaria de seis meses para resolver problemas particulares", acrescentou o dirigente.