Ausência de Del Nero em encontros da Conmebol alerta a Fifa

Marco Polo Del Nero segue na mira do Comitê de Ética da Fifa. A entidade estaria de olho em possíveis infrações do presidente da CBF, que não comparece às reuniões do comitê executivo da Confederação Sul-Americana de Futebol, a Conmebol, realizadas geralmente em Assunção, no Paraguai.

Por conta de sua ausência, o brasileiro estaria descumprindo o estatuto da entidade que regula o futebol na América do Sul. O motivo do presidente da CBF não ir aos encontros seria o temor de ser preso ao sair do país. Baseando-se em medidas jurídicas, ficando no Brasil Del Nero se livra de parar atrás das grades, como aconteceu com seu antecessor José Maria Marín, em maio, na Suíça.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a Câmara de investigação da Fifa confirmou que há processos contra Marco Polo Del Nero, entretanto, não foram reveladas possíveis punições ao dirigente. Desde maio de 2015, quando fortes nomes do mundo do futebol foram presos em Zurique, Del Nero prefere permanecer no Brasil, inclusive, não acompanhando a Seleção Brasileira em seus compromissos.

Em setembro do ano passado, para livrar a barra de Del Nero, a Conmebol lançou uma nova edição de seu estatuto. Foi excluída a previsão de punição para presidentes das federações associadas que não viajassem para os encontros da entidade, além de aceitar a presença de um representante no lugar dos dirigentes.

O escolhido para representar Marco Polo Del Nero nas reuniões do Conselho é o atual presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos. Desde 2016 assumiu a tarefa de viajar a Assunção regularmente, ainda que o estatuto tenha sido modificado e entrado em vigor meses depois.