Cueva comemora semestre positivo no São Paulo e projeta 2017 com títulos

Christian Cueva é um dos poucos jogadores do elenco do São Paulo que tem motivos para comemorar ao final deste ano. O peruano chegou ao clube brasileiro em junho e não precisou de muito tempo para se adaptar, sendo o principal destaque do irregular time do Morumbi no Campeonato Brasileiro.

Segundo o camisa 13, a forma como foi recepcionado e a união do elenco foram aspectos fundamentais para que não se inibisse com a camisa tricolor. "Creio que foi um ano difícil, mas mesmo assim o grupo se manteve unido, como uma verdadeira família", afirmou Cueva.

"E isso foi o que mais me tocou em 2016, independentemente de qualquer boa atuação individual", acrescentou, na esperança de participar de resultados coletivos mais significativos no ano que vem. "Assim, esperamos que 2017 seja melhor para a nossa equipe, e acredito que será assim", projetou o confiante jogador da seleção peruana, por quem também se destacou nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018.

Com 25 anos, Cueva chamou atenção do São Paulo durante a disputa das oitavas de final da Copa Libertadores da América contra o Toluca, do México. Encantando com o futebol do peruano, o clube paulista desembolsou 2,5 milhões de dólares (equivalente à época a R$ 8,8 milhões) para contar com o destro de 1,69m por quatro temporadas.

O investimento valeu a pena. Em 26 jogos pelo Tricolor, Cueva marcou sete gols e ainda contribuiu com cinco assistências. Mas foi nos clássicos contra o Corinthians em que ele caiu nas graças da torcida são-paulina.

No Majestoso do returno do Brasileiro, o peruano, que já havia marcado o gol no empate (1 a 1) contra o arquirrival em Itaquera, abriu o placar batendo pênalti com direito a cavadinha e deu três passes decisivos para David Neres, Andres Chavez e Luiz Araújo decretarem a goleada por 4 a 0 no Morumbi.

Ciente da importância de seus companheiros em seu processo de adaptação ao futebol brasileiro, Cueva confia em um 2017 de títulos para o São Paulo, que terá o ex-goleiro e ídolo Rogério Ceni no comando técnico.

"Pessoalmente, tive uma grande temporada, inclusive na seleção. Mas também dependo dos meus companheiros para ter um bom desempenho. Por isso sempre destaco o coletivo primeiro. Meus companheiros são grandes pessoas e me ajudaram muito desde o começo. Estou muito feliz no São Paulo, me sinto bem aqui e espero que o próximo ano seja de grandes conquistas. Teremos o Rogério Ceni, que é um grande líder, e trabalharemos em dobro para conquistar títulos", concluiu.